O Auditório do Ibirapuera recebe, no próximo dia 12 de outubro, às 19h30, o novo lançamento do livro “Olhando para as Estrelas em Braile”, da bailarina Fernanda Bianchini, seguido, às 21h, do espetáculo “Dançando Sem Limites”, que contará com audiodescrição e intérprete de libras.

Cia. Ballet de Cegos – Foto: Angela Rezé

Contar sua história e a da criação e florescimento da Cia. Ballet de Cegos, que já transformou mais de 1.000 vidas por meio do ensino gratuito de dança para pessoas com deficiência, era um sonho antigo de Fernanda, 41 anos. Ela o realizou após sete anos de trabalho, que contou com participação especial da jornalista Maria Manso, edição de Eduardo Correa e material fotográfico de Angela Rezé e Sergio Matta.

O livro de 128 páginas, publicado pela Editora Porto Palavra, teve seu primeiro lançamento em 12 de julho deste ano. No evento do próximo 12 de outubro será lançada sua versão em braile.

Fernanda Bianchini, no primeiro lançamento da obra – Foto: Angela Rezé

A obra traz depoimentos de professores, alunas e outros profissionais que ajudaram Fernanda a tornar realidade seus projetos de inclusão por meio da dança. “Esse livro é um grande sonho desde 2005, quando apresentei minha tese de mestrado, que contava o método de balé para deficientes visuais. (…) Ilustra uma história em que foi colocado muito amor e que transformou a vida de tanta gente.

Saber que esse livro pode chegar a muitas pessoas, muitos países, mostrando que o impossível não existe quando se tem força de vontade e se acredita em um sonho, é uma realização”, diz Fernanda.

A história da Cia Ballet de Cegos, mantida pela Associação Fernanda Bianchini, teve início em 1995, quando a então jovem bailarina iniciou um trabalho voluntário de ensino de dança a alunas do Instituto de Cegos Padre Chico, em São Paulo. Fernanda começou, então, a desenvolver um método próprio de ensino de dança clássica por meio do toque e da repetição de movimentos, que hoje é reconhecido internacionalmente – já foi ensinado em Portugal, Austrália, Estados Unidos e Argentina.

Cia. Ballet de Cegos – Foto: Angela Rezé

Em 24 anos, o projeto só cresceu, graças ao apoio de pessoas e empresas envolvidas na causa. Atualmente, a Cia. Ballet de Cegos atende 420 alunos, com idades de 3 anos até a terceira idade, com qualquer tipo de deficiência – 60% deles com a visual.

“Quando a gente vê nossos alunos no palco, a alegria e o sorriso que eles colocam, a gente não vê deficientes dançando. A gente vê artistas realizando uma bela arte e sendo aplaudidos por ela e não pela deficiência”, orgulha-se Fernanda.

Para compartilhar desse orgulho, no lançamento do dia 12, basta comprar ingresso neste link.