Ótima notícia para mulheres empreendedoras que tenham negócios com alguma inovação em estágio de desenvolvimento. A Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) e o Sebrae (Serviço de Apoio a Micro e Pequenas Empresas) acabam de lançar o primeiro edital do Programa Mulheres Inovadoras, que vai acelerar startups lideradas por mulheres. Decorrente do Acordo de Cooperação Técnica firmado entre o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Telecomunicações, Finep e Prefeitura de São Paulo, o programa tem apoio na divulgação da Rede Mulher Empreendedora (RME), fundada pela publicitária e jornalista Ana Lúcia Pedro Fontes, conselheira no Comitê de Educação do Grupo Mulheres do Brasil.

Segundo ela, a RME também mostrou quais negócios fazem mais sentido e qual ambiente é mais propício ao objetivo do programa, que é contribuir para o aumento da representatividade feminina no cenário empreendedor nacional, por meio da capacitação e do reconhecimento de empreendimentos que possam favorecer o incremento da competitividade brasileira. “Eles queriam entender quais são as dificuldades, o tipo de negócios e como podemos ajudar essas mulheres a acelerá-los”, diz Ana.

O programa contará, inicialmente, com um evento imersivo, com conteúdo relacionado ao empreendedorismo feminino. Apresentado por palestrantes, executivas e especialistas no tema, está marcado para 12 de março – mês da Mulher. Após o período de submissão de propostas, que se encerra em 16 de março, a Finep selecionará 20 startups lideradas por mulheres para receberem um programa de aceleração durante 30 dias. Dessas 20, até cinco podem ser selecionadas para recebimento de uma premiação de R$ 100 mil cada, conforme critérios estabelecidos no edital.

O melhor, de acordo com Ana Fontes, é que este dinheiro não demanda contrapartidas. “É um recurso a fundo perdido. Não tem programas que façam isso hoje. É uma oportunidade única de conseguir se desenvolver. Por isso a gente está incentivando muito na rede para que todas com startups se inscrevam”, entusiasma-se.

Podem se candidatar ao prêmio empresas brasileiras, ou seja, com sede no Brasil e instituídas conforme a legislação nacional, que atendam aos requisitos do edital. A seleção será feita em duas etapas: 1) Elegibilidade e Plano de Negócios; 2) Aceleração, Relatório Técnico Final e Banca Avaliadora Presencial, com tempo para interposição de recursos. Os resultados finais estão previstos para 17 de julho.

As inscrições podem ser feitas neste link.

Por Sílvia Pereira