No mundo contemporâneo é impossível pensarmos nas relações de trabalho sem considerar um propósito maior como a essência do que pode ser a chave para a realização plena. Profissionais, empresas e organizações com propósito estabelecem atualmente muito mais do que vínculos de trabalho, possuem uma visão transformadora e colocam suas habilidades e potenciais a serviço da sociedade.

Ao lado da Prof. Eliane Leite, Luiza Trajano entrevista jovens da ETEC, em reunião Portas Abertas – Foto: Divulgação

E é essa visão de legado que as reuniões Portas Abertas, do Grupo Mulheres do Brasil, têm mostrado às jovens da ETEC Profa. Dra. Doroti Quiomi Kanashiro Toyohara (ETEC Pirituba) que participam pelo terceiro ano consecutivo como voluntárias, por meio de uma parceria entre as instituições. Aproximadamente 100 alunas da 1ª a 3ª série do ensino médio do curso de eventos já participaram e outras 120 devem fazer parte ao longo deste ano. Elas atuam no staff do Grupo durante as reuniões, auxiliando nas tarefas administrativas e de recepção.

Entre uma tarefa e outra, elas se inspiram com as palestras de executivas como Luiza Helena Trajano e Sonia Hess, que conduzem os três turnos das reuniões, contando suas histórias profissionais e de vida e o propósito do Grupo Mulheres do Brasil para as novas integrantes.

“O objetivo é inspirar jovens para que possam sonhar e transformar suas vidas e a comunidade onde vivem”, explica Eliane Leite, diretora da ETEC e líder do Comitê de Educação do Grupo.

Eliane conta que a participação no Portas Abertas vem despertando nessas jovens uma outra percepção sobre o como podem ser autoras de suas histórias de vida. “Elas mudaram a forma de ver o papel que todas nós temos na sociedade e sabem que devem ser protagonistas dos seus próprios sonhos e pensar no Brasil. Muitas vezes não conseguimos ter a dimensão de como pequenas ações podem transformar a vida das pessoas”, diz a educadora.

A principal motivação para as jovens da ETEC é realizar o sonho de prosseguir estudando. “Algumas, após concluírem o ensino médio e inspirada pelas mulheres que conheceram no Portas Abertas, foram para carreiras que nem imaginavam anteriormente, como Relações Internacionais, Comunicação, Engenharia de Produção”, comemora Eliane Leite.

Luz Éricka, é uma das jovens que participou do programa em 2017 enquanto estava no último ano do ensino médio integrado ao curso técnico em eventos.

“Durante um ano tive a oportunidade de conhecer histórias de mulheres incríveis, que me motivaram ainda mais a fazer a diferença. Porém, eu não tinha tanta certeza se realmente queria fazer Relações Internacionais, por ser uma área muito ampla de Economia a Ambiental”, relata.

Para Sonia Hess, vice-presidente do Grupo Mulheres do Brasil, há uma troca de aprendizado entre todas as participantes. “É gratificante ver o resultado do trabalho dessas jovens que participam ativamente do evento sendo inspiradas e nos inspirando com dedicação e carinho”, diz a executiva.

Atualmente, Luz cursa o segundo ano Relações Internacionais e já busca por estágios. “Quero atuar em uma área que impacte a sociedade, trazendo melhorias e não pensando mais só no meu benefício, mas sim para todos. Tenho muita afinidade nas áreas de economia e direito e sei que nesses segmentos terei as ferramentas para fazer a diferença, assim como as grandes mulheres que hoje fazem parte do grupo Mulheres do Brasil, e futuramente integrar esse grupo com as minhas especialidades”, conclui a estudante.

Saiba mais sobre o Portas Abertas, neste link.