Alimentação Circular destaca a ecogastronomia e práticas sustentáveis para o dia a dia de forma simples e econômica

Se formos instigados a refletir sobre a prática da alimentação, logo perceberemos que a ação envolve muito mais do que o simples ato de comer e a disponibilidade de alimentos. Há uma cadeia de produção que se inicia no campo, ou antes, na preparação de sementes, mudas e insumos, passando por ciclos, do plantio à colheita, em que elementos da natureza têm um papel crucial.

E justamente para dialogar e despertar a conscientização da sociedade sobre os ciclos da alimentação e práticas sustentáveis e econômicas para o dia a dia, o Grupo Mulheres do Brasil, por meio do Comitê de Sustentabilidade, participa da Virada Sustentável, neste sábado, dia 24 de agosto, com o evento Alimentação Circular, composto por oficinas ministradas pela culinarista funcional Bianca Santana.

“Mostraremos na prática todo o ciclo alimentar, abordando, inicialmente, a produção de alimentos no campo com dicas de como plantar em pequenos espaços. Em seguida, vamos falar sobre o que é a compostagem, seus benefícios e como fazer uma em residências. Posteriormente, englobaremos essas e outras questões, como hábitos sustentáveis, e finalizamos discutindo sobre o número de desperdício de alimentos no Brasil”, explica Bianca.

Gastronomia alternativa e funcional

Durante as oficinas haverá demonstrações de como aproveitar integralmente os alimentos, com receitas que serão disponibilizadas e com direito a degustação. Entre essas receitas, a culinarista Bianca adianta que uma delas será um bolo funcional com cascas de frutas e degustação de brigadeiro feito com casca de banana.

“O bolo funcional é feito com ingredientes que, além de suas funções nutricionais básicas, quando consumido como parte da alimentação diária, produz efeitos metabólicos e fisiológicos benéficos para a saúde. Além disso, utilizaremos cascas de frutas, o que torna a receita mais rica em nutrientes e minerais e ainda sem desperdício”, diz Bianca.

Não ao desperdício

Segundo dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), enquanto 821 milhões de pessoas no mundo estão em estado de insegurança alimentar, um terço de toda a produção alimentar do mundo é desperdiçada diariamente – o equivalente a 1,3 bilhão de toneladas de comida descartada por ano. Somente no Brasil, estima-se que cada pessoa jogue no lixo 40 quilos de comida por ano, de acordo com estudo da Embrapa.

Ana Drummond, líder do Comitê de Sustentabilidade, ressalta que o movimento está engajado com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU). “Com essa participação na Virada Sustentável – Alimentação Circular, estamos contribuindo diretamente com o ODS (Objetivo de Desenvolvimento Sustentável) 12.3, que prevê reduzir pela metade o desperdício de alimentos per capita mundial”, diz Ana.

“Estamos propondo alternativas econômicas e simples de uma gastronomia ao alcance de todas as pessoas e com zero de desperdício. Esse é o nosso papel enquanto grupo, mostrar para a sociedade civil que a transformação do nosso país é possível a partir de pequenas ações”, completa Marisa Cesar, CEO do Grupo Mulheres do Brasil. Ela explica que o Comitê de Sustentabilidade, recém-lançado, foi criado com o propósito de ‘abraçar’ todas os pilares do Grupo: “porque nossas causas estão interconectadas com os 17ODS. Além de ser o guarda-chuva, vem para mostrar a transversalidade existente entre diversos projetos e causas que estamos realizando”, conclui a CEO.

As oficinas acontecem em duas etapas, na sede do Grupo Mulheres do Brasil, na Rua Tomás Carvalhal, 681, Paraíso, São Paulo. Os interessados em participar podem se inscrever pelos links, oficina da manhã, das 10h às 12h30; oficina da tarde, das 14h às 16h30.