Por Gabriela Siqueira, Monica Carvalho e equipe Comitê de Cultua

Os Comitês do Grupo Mulheres do Brasil foram convidados pelo Comitê de Educação a participar da Jornada Pedagógica, no dia 28 de junho. O nosso Comitê, prontamente, se engajou nesta maravilhosa experiência.

As líderes do comitê de Cultura Luciana Gerbovic e Janine Durand propuseram como atividade uma roda de conversa sobre o tema: “O prazer em ler começa na infância: diálogos e interações entre livros, professores e alunos”. As líderes então fizeram a curadoria dos convidados e conteúdos abordados, e convidaram as voluntárias Gabriela Siqueira e Monica Carvalho para mediarem a roda de conversa que teve a participação das especialistas: Claudia Aratangy,  Dolores Prades e Mariana Mendes.

Nossa participação integrou uma agenda bastante rica no CEU São Mateus, houve uma abertura com uma professora de música que é cantora lírica e cantou trechos de ópera bastante conhecidos, o que encantou a todos. Em seguida, houve o relato de uma professora contando sua experiência com uma turma diversa incluindo um aluno com PC (paralisia cerebral) e apresentando os impactos de oferecer um ambiente acolhedor, com múltiplas ações e experiências a todos os alunos. Esse relato foi uma ponte perfeita para a nossa roda de conversa, que foi a terceira atividade. O público já estava bastante envolvido com o tema, pois uma das ações feitas pela professora e apresentada em formato de filme foi uma roda de leitura.

Roda de Conversa com Mônica Carvalho, Cláudia Aratangy e Dolores Prado, da esquerda para a direita – Foto: Divulgação

Nossa proposta tinha como objetivo inspirar, promover diálogos e reflexões a fim de ampliar as práticas de leitura na educação infantil, nossas especialistas tiveram uma fala breve de abertura, e as professoras e professores foram convidados a enviar seus questionamentos e comentários por escrito para que houvesse o diálogo. Tivemos quase mil pessoas participando todo o dia.  O público foi bastante ativo, as questões em sua maioria era de cunho prático, como por exemplo: Como envolver as crianças no momento da leitura? Quais os critérios devemos considerar para selecionar bons livros, que atendam às especificidades da primeira infância? Nossas especialistas apresentaram dados, referências, deram suas opiniões e provocaram as professoras e professores a não subestimar os alunos.

A Jornada Pedagógica nos mostrou como são essenciais iniciativas como esta e de como é importante estar mais próximo do professor, que também precisa se sentir acolhido. Ter o Comitê de Cultura apoiando o Comitê de Educação é entender que estamos unindo forças para uma transformação social e dando base para o exercício pleno da cidadania. A cultura sensibiliza, emociona, transforma e conecta pessoas e isso é determinante no processo de educação. São duas áreas que se complementam, podem e devem seguir juntas. E ainda quando falamos da primeira infância, o impacto é muito positivo lá na frente.

Gabriela Siqueira, Cláudia Aratangy e Mariana Mendes, da esquerda para a direita – Foto: Divulgação

Especialistas dizem que a primeira infância é a que fica e fica para a vida toda. O acesso a leitura é um direito humano fundamental, por isso é muito importante incentivar o professor, que muitas vezes é o único vínculo da criança com o livro, e inspirá-lo a criar soluções em sala de aula para a prática da leitura, mesmo quando as situações do dia-a-dia são muito desfavoráveis e não há estrutura e acesso aos livros nas escolas. As nossas especialistas falaram muito sobre isso e compartilharam as boas experiências que ajudaram a desmistificar certos padrões que surgiram nas perguntas.