Neste dia chuvoso de domingo, 1 de setembro, foi realizada a 5ª edição do Programa Brincando e Aprendendo, organizado pelo Comitê de Igualdade Racial, do Grupo Mulheres do Brasil, desta vez, fora da sede do grupo.

O local escolhido foi o Centro de Cultura Negras do Jabaquara, Maria Sylvia de Oxalá, antigo Sítio da Ressaca, ponto muito representativo para o povo negro. A biblioteca tem o segundo maior acervo de cultura negra, perdendo apenas para o Museu Afro-brasileiro.

Foto: Divulgação

Com este cenário recheado de história, tivemos a apresentação do Grupo Luterê, que conta a histórias de rainhas e reis africanos, finalizando com uma oficina de turbante que representa a coroa dos reis e das rainhas. Foi lindo ver o envolvimento das crianças e dos pais na feitura do turbante encerrando com o desfile dos adultos e crianças.

No auditório, tivemos a apresentação do Ballet Koteban, que mostrou uma dança africana usualmente apresentada pelos jovens nas festas de batismo.

Apesar da chuva, estiveram presentes no evento aproximadamente 40 adultos e 60 crianças, que dançaram, cantaram e brincaram aos sons de tambores africanos.

Foto: Divulgação

O Brincando e Aprendendo é muito importante para que as crianças conheçam um pouco sobre a história da África de uma forma lúdica. As crianças negras saem empoderadas e orgulhosas de sua ancestralidade. As crianças brancas, por sua vez, conhecem uma história do povo negro que não é contada na escola, valorizam culturas diferentes e aprendem sobre respeito a diversidade.

O evento teve o patrocínio do Magazine Luiza e o apoio da Turma da Mônica, que enviou vários gibis e pôsteres como brindes.

Por Elizabete Scheibmayr – líder do Comitê de Igualdade Racial do Grupo Mulheres do Brasil