Viviane Elias Moreira foi uma das 10 mil pessoas que se emocionaram com a palestra do ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, no dia 30 de maio, no evento Vtex Day, voltado para o mercado de tecnologia e inovação, em São Paulo. Em seu discurso, Obama defendeu a igualdade racial e de gêneros e que todos tenham acesso a uma educação crítica e de qualidade. A pedido do Comitê de Igualdade Racial, do Grupo Mulheres do Brasil, Viviane expressa suas impressões impactantes sobre o encontro com o ex-presidente:

O verdadeiro sentido do propósito: reflexões de uma mulher negra sobre o evento do sr. Barack Obama no Brasil

*Por Viviane Elias Moreira

Povos. Raças. Credos. Estas três palavras estavam estampadas na minha camiseta em um dos dias mais significativos da minha história: participar de um evento com a presença do primeiro presidente negro dos EUA, eleito em novembro de 2008, Sr. Barack Obama. Acredito que a minha escolha de vestimenta para esta data tenha sido originada por um grande motivador: o legado que quero deixar pelo mundo!

Explico: para uma menina negra, nascida e criada na zona leste de São Paulo nos anos 80, onde a sua vida atual somente existe  porque a sua família (pais e irmãos) abriram mão de bens materiais e muitas vezes até de alimentação, para investir em sua educação como fonte para futuras oportunidades, não pode ser mera coincidência que o tema deste evento tão marcante na sua jornada tenha sido educação.  Sr. Barack Obama disse que o seu grande diferencial foi ter acesso durante a sua infância uma educação de qualidade e seus pais que entenderam que educação é um diferencial. Credos.

Viviane Elias Moreira – Foto: Arquivo Pessoal

Por pouco mais de uma hora, eu vi e ouvi não somente o ex-presidente de uma das maiores nações do mundo, eu vi e ouvi a personificação do que uma pessoa negra é capaz de realizar se ela tiver acesso a oportunidades iguais, independente do campo de atuação em que ela escolha atuar. E isso aconteceu inclusive durante o evento: entre as 15 mil pessoas que estavam presentes durante o evento, as pessoas negras eram minoria (um retrato fiel aos espaços de poder do mundo corporativo brasileiro), mas eram potentes. Potentes porque tive a oportunidade de abraçar ou visualizar um grande número dos rostos negros ali presentes e o que eu vi foi: orgulho, força, lágrimas, felicidade e representatividade. Cada um com a sua história pessoal. Cada um com os seus objetivos de estar ali. Cada um com o seu propósito. Cada um com o seu legado. Cada um com a sua gratidão. Cada um com as suas críticas.

Aqueles negros estavam ali, em sua grande maioria, graças a esforços de bastidores de outros negros (e pessoas não negras cientes dos seus privilégios em conseguir pagar para estar no evento), que entenderam o que este evento tem no mais profundo significado para a comunidade negra: o poder da representatividade! Equipe do Vtex (em especial a Alessandra), Movimento Black Money, Comitê de Igualdade Racial do Grupo Mulheres do Brasil, Afrobusiness, Feira Preta, Black Rocks, Meteorapodcast, Plano de Menina e tantos outros que estavam por lá mas não consigo nomear aqui: o significado do que é sororidade foi redefinida  naquele dia por vocês. Raças.

Com todos os resumos e frases ditas pelo Sr.Barack Obama durante o evento que já estão circulando em grupos de whats e páginas de redes sociais, gostaria de reforçar dois principais pontos com toda humildade, tentando retribuir ao mundo o que eu ganhei naquele dia, que é continuar lutando pela causa racial para que as pessoas não somente postem sobre o que foi dito, mas AJAM sobre o que foi dito. Quando digo agir, sugiro inicialmente a reflexão para os grandes líderes do mundo corporativo, com poder de tomada de decisão sobre uma mensagem dita claramente durante o evento: quando temos pessoas com diferentes raças, gêneros, orientação sexual, religiosidade e gerações, isso somente contribui para tomadas de decisões mais  assertivas , o que significa mais crescimento e produtividade. Não fui eu quem disse, foi o Obama!

Outra mensagem significativa é sobre o poder de conceder oportunidades igualitárias.  (perceberam a quantidade de vezes em que usei esta palavra neste texto? Propositalmente). O que elas poderão fazer por um Brasil melhor. “A única diferença de um menino de uma favela do Rio de Janeiro e de mim quando criança, é que eu tive acesso a uma educação de qualidade. Quem sabe, se um menino da favela conseguir ter a mesma oportunidade, ele não pode achar, quem sabe, a cura do câncer”. Não fui eu quem disse isso, foi o Obama!

Oportunidade tem poder. Não importa o tamanho da oportunidade que você conceda. Apenas dê uma chance. E ao receber uma oportunidade, expresse a sua gratidão. Aproveito para agradecer ao Grupo Mulheres do Brasil, que me concedeu a oportunidade de escrever este texto.

Com isso, encerro este texto com  uma história pessoal que é o maior exemplo do que o Sr. Barack Obama pode contribuir para o meu legado: ao contar ao meu pai que iria participar deste evento (um senhor negro de 84, cerceado de oportunidades corporativas, fluente em japonês e que criou os seu filhos vendendo seguros de porta em porta e tocando trombone em festas de carnaval e uma horta em casa para ser a mistura da janta), a reação dele foi a mais pura que um homem carente de representatividade por toda a vida pode ter: chorar! Chorou e disse: Filha obrigado por ser o mais perto que eu vou chegar do que é o meu maior orgulho de ser negro. Negro-sim-senhor! Povos.

Viviane Elias moreira, 39 anos, gerente sênior de continuidade de negócios