Aproximadamente 300 pessoas participaram nesta manhã, em São José do Rio Preto, de uma manifestação contra o feminicídio, em prol do combate à violência contra a mulher. A ação foi organizada por funcionários do Hospital de Base e Faculdade de Medicina de SJRP , como forma de protesto pelos assassinatos de duas enfermeiras da instituição, ocorridos recentemente.

A técnica de enfermagem Ana Cláudia Santos de Oliveira, de 27 anos, foi executada na porta de sua casa, em agosto de 2018, com cinco tiros pelo ex-namorado. O caso mais recente é o da enfermeira Juliana Ladim Simão, de 37 anos, brutalmente estrangulada, dia 18 último. Segundo investigações da Delegacia de Defesa da Mulher, o principal suspeito é o ex-marido.

A iniciativa teve o apoio e a participação de voluntárias do Grupo Mulheres do Brasil, Núcleo São José do Rio Preto. “Sabemos que o Brasil é o 5º país no mundo nas estatísticas do feminicídio, onde uma mulher é assassinada a cada duas horas. Portanto, não podemos apenas assistir inertes a esses tristes fatos que estão se tornando cada vez mais recorrentes”, ressalta Amanda Oliveira, líder local do Grupo Mulheres do Brasil.