Sob liderança da coordenadora Célia Domingues, o Grupo Mulheres do Brasil Núcleo Rio de Janeiro visitou recentemente um dos maiores programas sociais do mundo, segundo a UNESCO, o Programa Social da Mangueira, comunidade onde nasceu.

‘‘Transformar o sonho de jovens e adolescentes em realidade, ajudar na inserção desses jovens no mercado de trabalho e ter um reconhecido modelo de combate à pobreza, à desigualdade social e à exclusão nos países em desenvolvimento é motivo de muito orgulho para nós”, revelou a coordenadora.

“A sociedade civil precisa se mobilizar e percebemos que há muitas iniciativas bacanas, mas pulverizadas. Nosso objetivo é somar e acelerar projetos sociais ligados à educação, combate à violência contra mulheres e igualdade racial,” complementou Cátia Tokoro, também integrante grupo.

“Nossa visita teve o objetivo de conhecer os projetos, ouvir as necessidades e avaliar como poderemos trabalhar juntos”, explicou Andrea Carvalho, líder do grupo no Rio de Janeiro.

Disciplinas como informática, rotinas administrativas, computação, relacionamento, alimentador de linha de produção, operadores do comércio em lojas e mercados, gestão e organização do tempo são imprescindíveis para o ingresso do jovem ao exigente mercado de trabalho. Conhecimentos técnicos aumentam as chances de que o jovem seja contratado, consiga ingressar em seu primeiro emprego e continue por lá. Em 30 anos, mais de 16 mil jovens foram capacitados. Neste momento de crise, e sem o apoio de verbas governamentais, 985 aprendizes da Mangueira e outras comunidades atuam em 216 empresas.

“O mercado tem capacidade para absorver 80 mil aprendizes no Estado do Rio e hoje só 42 mil trabalham devido à legislação federal que pode ser aperfeiçoada”, comentou Antônio Carlos Ferreira, ex-executivo da Xerox do Brasil, administrador do CAMP Mangueira (Círculo dos Amigos do Menino Patrulheiro da Mangueira), declarado Utilidade Pública Municipal em 2011.

O CAMP Mangueira realiza assistência social por meio de serviços e programas destinados à proteção de adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social e suas famílias e integração do adolescente e do jovem ao mercado de trabalho.

Antonio Carlos Ferreira, apresentando a proposta do CAMP Mangueira.

Patrícia Baracho, superintendente do Instituto Profissionalizante Mangueira, desabafou sobre a redução de patrocínios com o agravamento da crise financeira pela qual passa o país, o que levou à perda de seu grande patrocinador, a BM&F. Segundo ela, o curso de cabeleireiro, por exemplo, que foi selecionado em 2018 e 2019 pelo edital do Intercoiffure e do Instituto ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) atende apenas a 10% da demanda da comunidade. Atualmente, dentre seus apoiadores, estão Danneman, Keune, SalomLine, Fabrimar, Tigre e Leite de Rosas.

Patricia Baracho apresenta as instalações dos cursos de profissionalização

“A Agenda 2030 da ONU, que aponta Metas Nacionais dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, é uma oportunidade para trabalharmos conjuntamente com as empresas e captarmos patrocínios”, afirma Baracho, apontando outra luz para atuação do Grupo Mulheres do Brasil. O Instituto Profissionalizante Mangueira é uma organização sem fins lucrativos, inserida no Programa Social da Mangueira, situado na Vila Olímpica desde maio de 2000, que trabalha com educação profissional para vários serviços como:

  • Inglês Básico e Intermediário – Certificação Instituto Profissionalizante Mangueira parceria SESI – RJ
  • Maquiagem – Certificação Instituto Profissionalizante Mangueira parceria SESI – RJ
  • Encanador de Obras  –  Certificação Instituto Profissionalizante Mangueira parceria SENAI – RJ
  • Auxiliar de Eletricista –  Certificação Instituto Profissionalizante Mangueira parceria SENAI – RJ
  • Montador de Móveis Planejados – Certificação Instituto Profissionalizante Mangueira parceria SENAI
  • Eletricista de Automóveis – Certificação Instituto Profissionalizante Mangueira parceria SENAI – RJ
  • Mecânico de Motores Ciclo Otto – Certificação Instituto Profissionalizante Mangueira parceria SENAI
  • Almoxarife de Obras –  Certificação Instituto Profissionalizante Mangueira parceria SENAI – RJ
  • Cabeleireiro – Certificação Instituto Profissionalizante Mangueira parceria Estação Primeira com a FAETEC – RJ
  • Depilação – Certificação Instituto Profissionalizante Mangueira parceria Estação Primeira com a FAETEC – RJ
  • Manicure/Pedicure – Certificação Instituto Profissionalizante Mangueira parceria Estação Primeira com a FAETEC– RJ
  • Auxiliar Administrativo – Certificação Instituto Profissionalizante Mangueira parceria Estação Primeira com a FAETEC – RJ

    Espaço para os cursos de cabeleireiro, maquiagem, manicure, entre outros.

A coordenadora da área de esportes, Barbara Machado, falou sobre os projetos que desenvolve junto a seis mil pessoas, das 7h às 22h, com auxílio de 100 funcionários, e também demonstrou preocupação com a retração das empresas. Nascido inicialmente como um programa esportivo, com a criação da Vila Olímpica da Mangueira, o Programa Social da Mangueira educa e forma cidadãos com autonomia. Além do Centro de Referência Esportiva, que possui equipes de atletismo, basquete, futebol, ginástica rítmica, natação, boxe e levantamento de peso, realiza trabalhos específicos com a terceira idade e com pessoas com deficiência em diversas áreas como:

  • Cultura – com a Mangueira do Amanhã e o Projeto Dançando Para Não Dançar;
  • Educação – com a Escola Tia Neuma, o Santa Mônica Centro Educacional, o Ciep Nação Mangueirense Governador Leonel de Moura Brizola;
  • Ensino Profissionalizante – através do Camp Mangueira e do Centro Profissionalizante Mangueira;
  • Cidadania – com os projetos Vidro é Cidadania e Casa-Lar;
  • Saúde – no Centro Municipal de Saúde Tia Alice, da Clínica da Família Dona Zica e com atendimentos de fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição, psicologia e clínica geral.

    Espaço para atividades esportivas na Mangueira

Com o crescimento do programa social, nasceu o Instituto Mangueira do Futuro, que hoje agrega todos os valores do passado e projeta, no próprio nome, dias melhores em busca de cidadania e um futuro com dignidade a todos que são beneficiados pelo projeto.”Foi um prazer fazer essa visita e conhecer pessoas que trabalham tanto para provocar um impacto social tão necessário e pertinente na vida de tantas pessoas, das mais diversas idades. Como líder da área da educação, no núcleo do Rio, do Grupo Mulheres do Brasil, visualizo muitas possibilidades de trabalho em conjunto com o Instituto Mangueira do Futuro. Nesse momento, não temos outra saída senão nos unir contra o abandono e a desigualdade, com determinação e amor, para transformar vida por vida”, diz Maria Torres.

“Pelo que vimos aqui, é evidente que precisamos de um maior número de empresas visionárias, que não mais determinem seus investimentos de impacto social com base na proximidade do projeto de sua operação, mas sim que decidam com base na relevância de seu impacto para a sociedade. Precisamos de empresas que nos ajudem a desenvolver por aqui,as competências necessárias para as carreiras do futuro .” ponderou Adriana de Queiroz, líder de comunicação do grupo no Rio de Janeiro.

Por Malu Fernandes