Na última quarta-feira, dia 18 de dezembro, ocorreu o encerramento do Festival de Cinema do Rio, com uma sessão especial do Filme Escândalo, promovida pela Paris Filme, na Estação NET Gávea, no Rio de Janeiro, seguida de um debate com as presenças da atriz Alice Wegmann, a VP de Recursos Humanos da BASF, Luciana Amaro, a CEO do Grupo de Mulheres do Brasil, Marisa Cesar, e a jornalista Bruna Thedy, que mediou o evento.

As representantes discorreram e refletiram sobre os temas abordados na película do diretor Jay Roach, interpretada pelas atrizes Nicole Kidman, Charlize Theron e Margot Robbie,  baseada em fatos reais, que expõe a queda do ex-CEO da Fox News, Roger Ailes, um gigante do telejornalismo, em razão de seu envolvimento com casos de assédio sexual no ambiente de trabalho – caso que veio à tona após denúncia de um grupo de mulheres.

Bruna Thedy, Alice Wegmann, Marisa Cesar e Luciana Amaro comandaram um bate-papo sobre assédio sexual, após a exibição do Filme Escândalo – Foto: Divulgação

Segundo Marisa Cesar, trazer esta discussão após a apresentação do filme, durante o Festival de Cinema, veio contribuir para engajamento da plateia para este tema de grande relevância e que ainda ocorre nas organizações, sejam do meio artístico, jornalístico ou corporativo. “Muitas vezes o assunto é velado, quando a empresa não tem uma política de ética e conduta”, diz a CEO do Grupo Mulheres do Brasil.

Ela explica ainda que nas organizações já avançadas que têm o sistema de compliance implementado, o assédio sexual vem se tornando raro, pois, na grande maioria, a tolerância é zero em relação ao assunto. “Acredito que as organizações que não têm o sistema de ética e conduta precisam com urgência estabelecer e rapidamente se enquadrar a esta nova realidade. Em qualquer que seja o ambiente, a mulher tem o direito de dizer ‘não’, afinal ‘não é não’”, conclui Marisa Cesar.