Um minuto de silêncio durante a etapa do Campeonato de Beach Tênis, em memória às vítimas de feminicídio na Paraíba

O Grupo Mulheres do Brasil Núcleo João Pessoa participou da impactante ação de conscientização “Basta ao Feminicídio”, durante etapa do Campeonato Mundial de Beach Tênis, que ocorreu entre 19 e 22 de setembro na capital da Paraíba. A campanha foi promovida por meio do Comitê de Combate à Violência contra a Mulher, com o apoio da Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres da Prefeitura Municipal de João Pessoa.

Faixas exibiam frases de conscientização sobre a violência contra a mulher – Foto: Divulgação

O evento contou com mais oito categorias esportivas e em todas a ação foi realizada. Consistiu em 1 minuto de silêncio em memória das vítimas de feminicídio no Estado, ocasião em que 10 voluntárias e integrantes do Grupo entraram em campo com faixas exibindo frases de efeito como: “Cartão vermelho para a violência contra a mulher” e “Violência contra a mulher é jogo sujo”.

De acordo com Andrea Libardi, uma das líderes do Núcleo João Pessoa, o momento impactou em torno de 1.500 pessoas presentes, entre atletas, comissão técnica, torcedores e profissionais que trabalharam no evento, entre outras centenas que o assistiram pelo Youtube, via transmissão oficial do evento.

Unidas pelo combate à violência contra a mulher – Foto: Divulgação

Segundo levantamento do núcleo, em 2018 foram registrados, na Paraíba, 84 crimes violentos ou letais contra mulheres, dos quais 34 (40%) eram feminicídio – definição legal para perseguição e morte intencional de pessoas do sexo feminino –, classificado como crime hediondo no Brasil.

Mulheres vítimas de violência contam, em João Pessoa, com o Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra, onde é dado acolhimento, orientação e encaminhamento para a Rede de Atendimento. A cidade ainda possui duas Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher, que funcionam em regime de plantão 24 horas.

“A conscientização de que os números do feminicídio são alarmantes é essencial para mudar o comportamento da sociedade, todos somos responsáveis”, conclui Andréa.

Neste link do YouTube, nos dois minutos finais, é possível ver a ação: