*Texto enviado pela jornalista correspondente em Londres, Yula Rocha

Três mulheres transformadoras: a nossa Luiza Helena Trajano, Aline Mendes, da Unilever, e Nicola Mendehlson, do Facebook, dividiram suas histórias de liderança por igualdade de gênero no mundo corporativo. A conversa foi promovida pelo Grupo Mulheres do Brasil Núcleo Londres e pela parceira e empresa de advocacia Mattos Filho. Glaucia Lauletta Frascino, sócia da advocacia, deixou claro o espírito do evento:

“Queremos apenas mudar o mundo. O resto, depois a gente vê como faz.”

Auditório lotado – Foto: Divulgação

Nicola, que é vice-presidente do Facebook para Europa, Oriente Médio e África, uma indústria predominantemente masculina, enfatizou que a mudança do mercado tech e digital começa na escola. Ela disse que é preciso quebrar o estereótipo de que são os meninos que gostam de ciências e matemática.

“As meninas também são capazes e boas nessas disciplinas”, porém, para Nicola elas ainda precisam encontrar exemplos de mulheres inspiradoras para seguir e assim conseguir ocupar o mercado.

Equilíbrio é uma palavra banida do vocabulário de Nicola, executiva e mãe de quatro filhos, que sempre é perguntada como ela consegue conciliar a vida profissional e pessoal. Ela explicou para mediadora Cátia Dal Poz que a palavra equilíbrio traz a ideia de que há algo errado e para isso ela planeja com antecedência a vida entre família, trabalho e voluntarismo. E não é à toa. Há 3 anos, a executiva foi diagnosticada com um câncer incurável – o linfoma folicular. Em campanha de conscientização da doença, Nicola quis dividir sua história com a plateia, que se emocionou.

“Não é aceitável que em 2019 não haja recurso para pesquisa e tratamento desta doença”, disse ela engajada em levantar dinheiro para essa causa tão pessoal.

A segunda convidada, a brasileira Aline Santos, que é membro do Grupo Mulheres do Brasil, em São Paulo, começou na Unilever como estagiária e chegou ao posto de vice-presidente executiva global de marketing, baseada em Londres. Ao longo da caminhada ela foi quebrando muitas barreiras, foi a primeira mulher na área comercial, a primeira diretora de marketing e a primeira a chegar a um cargo tão alto na empresa. Nem banheiro feminino tinha no andar do escritório dela.

Aline Santos, Luiza Helena e Nicola Mendehlson – Foto: Divulgação

Hoje, Aline também é chefe do departamento de diversidade da Unilever e trabalha alinhada com as metas de igualdade de gênero da ONU. Ela disse que a empresa conta com um quadro de quase 50% de homens e 50% de mulheres.

“Mas uma coisa é diversidade e outra é inclusão”, ela reforça.  “Precisamos que todo mundo tenha voz”. E aí ela inclui não só as mulheres, mas funcionários LGBT+, negros e pessoas com deficiência.

A líder de Curitiba, Margaret Groff, que ajudou a ‘costurar’ a abertura do Núcleo Londres chamou ao palco Luiza Helena Trajano. Antes, a ex-diretora financeira da binacional Itaipu,  contou que só passou a ser respeitada entre os colegas – todos homens na época, quando ela, muito forte, apartou na marra uma briga no trabalho. A partir de então, Margaret ganhou a confiança na empresa.

Luiza Helena Trajano, assim como as outras convidadas do evento, chegou para desconstruir mais um paradigma:

“Temos que mudar a crença de que mulher não é amiga de mulher, vamos parar com isso!”. Ela voltou a defender o sistema de cotas para mulheres nas empresas lembrando que “é um processo transitório para acertar a desigualdade”, e confessa que se envergonhou quando se deu conta de que sua empresa, o Magazine Luiza, não havia olhado com sensibilidade a questão de contratação de deficientes, hoje aposta em 1.200 funcionários. Luiza se emocionou ao falar de seus dois grandes exemplos de inspiração na vida – a mãe, já falecida, e a tia, Luiza Trajano.

Luiza Helena Trajano ao lado de líderes do Grupo e palestrantes – Foto: Divulgação

Ela também disse que hoje se sente muito confortável para ser quem ela é – disse que chora em reunião na frente dos homens e conta muito com sua intuição. Luiza fechou o evento aconselhando a todas as mulheres: “Jamais percam sua essência.”

A conferência terminou com uma grande notícia: o recebimento do certificado de registro do Grupo Mulheres de Brasil Núcleo Londres como a mais nova ONG aberta no Reino Unido.