As brasileiras que vivem em Londres estão sendo contempladas oficialmente com um núcleo local do Grupo Mulheres do Brasil, um movimento político suprapartidário que reúne mais de 33 mil participantes voluntárias de diversas cidades do Brasil e também do exterior. O evento de lançamento ocorre no dia 17 de outubro, às 18h, na renomada London School of Economics (LSE), que conta com apoio do Centro para América Latina e Caribe (LACC).

A executiva brasileira Luiza Helena Trajano, presidente do Grupo Mulheres do Brasil, chega a Londres para celebrar o lançamento oficial do Núcleo Londres, e junta-se a uma das principais lutas locais, que é também uma das causas globais do movimento: contra violência doméstica que não tem fronteiras.

Reunião Geral do Núcleo Londres, com a participação de Luciana Berry – Foto: Elizabeth Kress

“Assim como no Brasil, vamos atuar fortemente no combate à violência contra a mulher no Reino Unido, pois não podemos mais admitir que mulheres sejam mortas ou violentadas por seus companheiros, como foi o caso que ocorreu inclusive com uma brasileira recentemente aqui em Londres”, disse Luiza Helena Trajano, em referência à morte de Alyne Mendes que entrou nas tristes estatísticas da polícia de 173 mulheres assassinadas no Reino Unido em 2018.

A iniciativa faz parte da estratégia de expansão do Grupo que vem transformando realidades a partir do envolvimento da sociedade civil em ações que estimulam a participação e o protagonismo feminino em pontos estratégicos no Brasil e no exterior. “Estamos presentes em 49 diferentes localidades. Com a abertura dos Núcleos Internacionais, como é o caso de Londres, o Grupo cresce não apenas em número de participantes, como também amplia a capacidade de transformação, propiciando que mais mulheres se engajem no Movimento”, afirma Lilian Leandro, diretora de expansão e líder do Comitê Expansão do Grupo Mulheres do Brasil.

“As mulheres que vivem distante de seu país de origem passam por realidades às vezes muito difíceis, seja no campo pessoal ou profissional. Nós queremos abraçar e acolher as brasileiras que moram em Londres, estimulá-las a serem protagonistas de uma nova história, e, assim, se engajar nas causas femininas e que envolvam a sociedade como um todo, que é o que fazemos” afirma Luiza.

Evento realizado em julho sobre os Direitos da Mulher, reflexão e conhecimento para as brasileiras que vivem em Londres – Foto: Elizabeth Kress

Na fase de pré-lançamento, o núcleo londrino teve a oportunidade de conhecer e entender o perfil das mulheres brasileiras em Londres. O grupo já organizou palestras sobre empreendedorismo, auxílio ao desenvolvimento de carreiras, eventos na área de cultura com visita ao museu TATE, exibição de filmes brasileiros e música; roda de conversa sobre violência doméstica e orientação do que fazer e a quem procurar. Além das sessões mensais de meditação em português, uma prática seguida de um cafezinho pra papear e fazer novas amizades.

Ainda na fase de implantação, o núcleo londrino contou com o suporte e apoio de Margaret Groff e Renata Ramalhosa, que levaram o grupo ao Reino Unido e iniciaram os primeiros contatos com as lideranças locais. “Contribuímos para a formação do Núcleo Londres, graças à nossa experiência em desenvolvimento de projetos de empoderamento das Mulheres para alcançar a equidade de gêneros. Foi importante também o conhecimento da Renata sobre o mercado e governo do Reino Unido, por ela ser membro e representante do Governo Britânico no Brasil, além da minha atuação como uma das líderes do Núcleo Curitiba-PR, e, principalmente, por acreditarmos na forma como o Grupo Mulheres do Brasil é liderado pela Luiza Helena Trajano”, explica Margaret.

Em Londres, o Grupo é liderado por Camila Kern, Maria Antonia de Carli e Daniela Barone Soares. Segundo as líderes, as brasileiras que vivem na cidade já estão recebendo as ações com muito entusiasmo. “Estamos muitos contentes com o desafio de trazer o Grupo Mulheres do Brasil a Londres para que mais mulheres se juntem às nossas causas”, enfatizam as líderes.

A inscrição para o lançamento é obrigatória e deverá ser realizada neste link.