O Grupo Mulheres do Brasil, por meio do Comitê de Sustentabilidade, uniu-se ao movimento World Cleanup Day – projeto internacional que mobiliza milhares de pessoas em centenas de países, em atividades que envolvam a preservação ao meio ambiente, e participou neste sábado, 21 de setembro, do Dia Mundial da Limpeza.

De acordo com Roseli Machado, uma das líderes do Comitê de Sustentabilidade, a iniciativa propõe também uma reflexão sobre os cuidados com a cidade nos âmbitos social, econômico e ambiental. “Nossa ação foi na região da Armênia, um local com baixos níveis de IDH (Índice de Desenvolvimento Urbano) , onde presenciamos muita sujeira, descaso e invisibilidade com relação aos moradores de rua.  Foi possível observar que a maioria desta população é negra, jovem e trans”, relata a líder.

Em São Paulo, a ação teve o apoio da Prefeitura Municipal – Foto: Divulgação

Em parceria com o Instituto Limpa Brasil, e com o apoio da Prefeitura Municipal, uma equipe de 8 voluntárias do Grupo, em São Paulo, arregaçou as mangas e recolheu os lixos das ruas da Armênia e Ponte Pequena. Ao todo 28 pessoas participaram da ação, entre crianças, jovens, adultos e idosos, recolhendo 23 sacos, de 100 litros, de locais como Av. Tiradentes e Praça da Armênia.

Para a integrante do comitê, Joana Figueira, ativista sociopolítica ambiental, representante e líder da região da Armênia, foi um dia marcante e especial. “Em um exemplo brilhante de cidadania, respeito, responsabilidade, consciência, vontade e coragem, formamos uma das milhares de células do Dia Mundial da limpeza. E, como em todos os lugares do Planeta que participaram dessa ação, foi sensacional”, comemora Joana.

Joana Figueira e Roseli Machado, foram recolhidos 23 sacos de lixo – Foto: Divulgação

O Dia, em Franca

No interior paulista, em Franca, diversos coletivos se uniram pela causa e o resultado foi um exemplo de cidadania ambiental, reunindo cerca de 100 voluntários pelo Dia Mundial da Limpeza, entre eles, as integrantes do Comitê Franca + Limpa, do Grupo Mulheres do Brasil Núcleo Franca.

Equipe de voluntários de Franca – Foto Divulgação

O local escolhido foi o Centro da cidade, onde foi encontrado muito material reciclado, segundo relata Gisela Sertório, líder do Comitê Franca + Limpa. “Esse tipo de lixo poderia estar indo diretamente para a cooperativa de material reciclado da nossa cidade. Porém, acaba nas ruas e praças do Centro. Isso ressalta a importância de ações como essa, que visam conscientizar a população para a ação e responsabilidade com os resíduos gerados em suas casas e estabelecimentos comerciais”, explica Gisela.

Para a líder, as interações da população com os voluntários durante a ação também são formas de chamar a atenção para a causa ambiental. “É  um dia importante pois pessoas se juntam para limpar a cidade em que vivem, muitos têm uma reação empática  com os voluntaristas,  e é  uma maneira de tocar as pessoas que  desejam contribuir , pois todos podem participar e não só neste dia. Ações como essa podem mudar o mundo para melhor,  por meio da responsabilidade e cidadania de cada um”, enfatiza.

Unidos por uma Franca mais limpa – Foto: Divulgação

Em Goiânia

As ruas do bairro Celina Park e a escola Cora Coralina, em Anápolis, Goiânia – GO, também ficaram mais limpas neste Dia Mundial da Limpeza. Foram 38 voluntários, entre participantes do Grupo Mulheres do Brasil e simpatizantes da causa, que vestiram a camisa por um mundo mais limpo e sustentável.

A reação da população foi positiva e interativa, relata Mônica Veloso, líder do Comitê de Sustentabilidade do Núcleo Goiânia. “As pessoas nos agradeciam, porque é um pouco estranho alguém limpar a porta da sua casa. Ao mesmo tempo, os tornavam mais conscientes ao pensar: tenho que manter, pois isso deixa a minha casa mais bonita”, conta Mônica.

Voluntários em Goiânia – Foto: Divulgação

A líder destaca ainda que a ação foi um aprendizado para todos, inclusive para os voluntários. Houve relatos de participantes do grupo dizendo ‘eu não sabia que papel de bala era tão difícil de pegar do chão’. Às vezes achamos que uma coisa tão pequena não ocupa tanto espaço. Ficamos impressionadas com a quantidade de resíduos que coletamos em duas horas de atividades”, ressalta.

Como nasceu o World Cleanup Day

O projeto coletivo começou na Estônia, no ano de 2008. Na época, 50 mil pessoas se reuniram para limpar o lixo despejado ilegalmente em terrenos baldios do país inteiro em apenas cinco horas. Esta ação cívica, que reduziu o problema daquele país em 75%, foi realizada por voluntários e os organizadores nomearam de “Let’s Do It!” (Vamos fazer isso! em português). O sucesso da ação no país do leste europeu se espalhou pelo mundo. Atualmente, são mais de 158 países que organizam limpezas baseadas no mesmo modelo.