O Grupo Mulheres do Brasil realizou, dia 12 de agosto, o 2º. Encontro Mundial dos Núcleos, pelo canal do YouTube, transmitido ao vivo, com a participação das líderes e representantes dos Núcleos do Brasil e do exterior.

Organizado pelo Comitê Expansão, o tema do encontro foi “Atitude”, com o objetivo de aproximar todas as mulheres que se encontram em localidades espalhadas pelos quatro cantos do mundo, bem como acolher as que estão chegando agora com os novos Núcleos.

Na abertura da reunião, a Diretora de Expansão Lílian Leandro explicou sobre o momento de crescimento exponencial do Grupo e a conexão com o tema ‘Atitude’.

“Com quase 50 mil mulheres, estamos em 97 Núcleos, cobrindo praticamente todo o Brasil e quase todos os continentes, faltando apenas a África para cobrirmos o mundo. Falar desse crescimento do Grupo é falar de diversidade e de multiculturalidade. Quando falamos de ‘atitude’, apresentamos uma importante convergência, e este encontro é uma prova viva do quanto, diante de toda pluralidade, estamos aqui conectadas por uma conduta comum, que é acreditar e ser parte ativa da transformação do Brasil”, declarou Lilian Leandro.

Na ocasião, o Grupo Mulheres do Brasil contava com 97 Núcleos. Hoje já atingiu o número de 100 localidades no mundo, uma marca histórica para o movimento.

Em uma fala recheada de emoção, Luiza Helena Trajano, Presidente do Grupo Mulheres do Brasil, explanou sobre a força e a interação do Grupo, que é pautado em valores e princípios estruturados.

Luiza Helena Trajano convida as participantes a se unirem pela transformação do Brasil

“No início precisávamos de estrutura e pilares fortes e assim trabalhamos, construindo nossos valores e propósitos. Nunca abrimos mão dos nossos inegociáveis e nossos pilares foram se fortalecendo. Agora, precisamos crescer em número de participantes, chegar a 100 mil, 200 mil mulheres. Convido todas a estarem muito juntas a trabalharmos pelo fim das desigualdades sociais. O Grupo Mulheres do Brasil está no momento certo, na hora certa, e nós vamos mudar o país”, disse Luiza.

Ainda durante a reunião, as participantes conheceram um pouco mais sobre a estrutura de atuação dos suportes institucionais – Expansão, Comunicação, Apoio Emocional, Tecnologia e Jurídico –, que estão à disposição dos Núcleos para a condução dos trabalhos.

A líder do Núcleo de Curitiba, Regina Arns, conduziu a segunda parte do encontro com uma “Atitude” de acolhimento: “Dar voz aos 23 novos Núcleos, dar as boas-vindas às líderes, para que elas coloquem seus sentimentos em uma frase. Uma vez que são parte ativa do propósito de transformar”. Com esse chamado, Regina convocou as novas líderes a se expressarem.

Depoimentos de novas líderes:

Amsterdã, Andréa – “Estou emocionada por ver uma estrutura tão forte e sólida, por ver um propósito muito bonito e social de ajuda às mulheres tanto na pandemia como fora desse contexto, e me sinto bem acolhida pelo grupo”.

Países Baixos, Damaris – “Estamos muito emocionadas e felizes em fazer parte desse projeto. Essa reunião de hoje nos passou mais segurança de estar fazendo parte de algo tão importante não apenas para o Brasil, mas também para as brasileiras que moram fora”.

Paraná, Julieta Lima – “A palavra é desafio – é um desafio muito grande participar desse grupo. Eu vejo que é um grupo de mulheres empoderadas que querem empoderar outras mulheres e ajudar a mudar o Brasil e o mundo, nos vários Núcleos. É um prazer estar com todas vocês”.

Estrutura dos suportes institucionais