Milhares de pessoas saíram às ruas na manhã deste domingo, 8 de dezembro, em todo o país e também no exterior, vestindo laranja, na Caminhada pelo Fim da Violência contra as Mulheres, uma iniciativa do Grupo Mulheres do Brasil, por meio do seu Comitê de Combate à Violência contra as Mulheres, que mobilizou toda a sociedade e reuniu homens e mulheres, adultos, jovens e crianças.

Em São Paulo, a Caminhada seguiu pela Av. Paulista – Foto: Angela Rezé

Ao todo, foram 30 cidades participantes, no Brasil e no exterior. A organização estima que, aproximadamente, 15 mil pessoas participaram da caminhada. Somente em São Paulo foram 2 mil pessoas, que levaram suas vozes pacíficas, porém firmes no propósito de conscientizar sobre o problema da violência contra as mulheres, ao longo da Av. Paulista.

Segundo Marisa Cesar, CEO do Grupo Mulheres do Brasil, os resultados superaram as expectativas. “Inicialmente esperávamos ter por volta de 5.000 participantes pelo mundo. O engajamento foi intenso em diversas localidades e nos surpreendeu com o forte resultado, diz Marisa.

Luiza Helena Trajano, ao centro, e participantes do Grupo Mulheres do Brasil, durante a Caminhada – Foto: Angela Rezé

Para Luiza Helena Trajano, presidente do Grupo Mulheres do Brasil, esse é um momento histórico para o país e também para o nosso Grupo. “Nós saímos às ruas para mostrar que a sociedade não aceita mais essa triste realidade e nós estamos mudando isso. E para mudar essa realidade a gente precisa se mexer, precisamos nos unir, é o poder público e a sociedade civil, homens e mulheres, todos juntos, exigindo que a Lei Maria da Penha seja cumprida, que se tenham mais Delegacias da Mulher e mais políticas públicas que protejam e acolham a mulher vítima de violência”, afirma Luiza.

Ainda de acordo com Marisa Cesar, a grande mobilização deste domingo, atesta que as pessoas finalmente estão entendendo que a violência contra as mulheres é um tema que diz respeito a todos e todas. “Não é um assunto apenas da vítima, mas é de todos nós que convivemos, e mais ainda, precisamos ‘meter a colher sim’, denunciando e encorajando as mulheres a denunciarem e a saírem do ciclo vicioso da violência”, ressalta a CEO do Grupo Mulheres do Brasil.

Cerca de 2 mil pessoas participaram da Caminhada em SP – Foto: Angela Rezé

A líder do Comitê de Combate a Violência contra a Mulher, Elizabete Scheibmayr, destaca a importância de um trabalho em rede com todos os Núcleos do Grupo Mulheres do Brasil. “Este é um assunto prioritário, uma das nossas causas globais. A largada foi dada e nosso próximo foco é contribuir na solução do problema e reduzir os altos índices de violência e feminicídio, principalmente no Brasil”, conclui a líder.

Um breve resumo da Caminhada pelo Brasil

Porto Alegre

Em Porto Alegre os participantes da caminhada abraçaram um dos seus principais pontos turísticos, o Monumento aos Expedicionários. Foi uma manhã ativa e de muita reflexão.

Foto Divulgação

Recife

Recife fez bonito na Caminhada, com direito a uma linha de frente formada por policiais femininas, com muito frevo, apoio das pessoas nos prédios e por toda a praia de Boa Viagem. A organização local acredita que, com a iniciativa, foram estabelecidas novas conexões e pontes entre o público e as instituições não governamentais.

Belo Horizonte

As pessoas caminharam pelas ruas e, ao final, a parada foi na Feira de Artesanato, ponto tradicional de Belo Horizonte, onde os participantes puderem saber mais sobre o grupo e as ações de Combate à Violência contra as Mulheres.

Foto: Divulgação

Goiânia

Em Goiânia, mais de 800 pessoas foram às ruas pela causa do Combate à Violência contra a Mulher.

Foto: Divulgação

Fortaleza

Em Fortaleza, houve a Caminhada pelo Fim da Violência contra a Mulher e o Treino de Corrida, com percursos de 2,5, 5 e 10km, chamando a atenção da população, com a participação de 1.200 pessoas.

Foto: Divulgação

Brasília

Em Brasília, as voluntárias do Grupo subiram ao palco da corrida Circuito das Estações e convocaram todos a participarem, em seguida, da Caminhada pelo Fim da Violência contra as Mulheres. Foi um sucesso!

Foto: Divulgação

Franca

A cidade explodiu num mar cor de laranja. De acordo com as líderes, a caminhada foi um grande grito de despertar para a causa da Violência Contra a Mulher. A cidade viu que é preciso agir para reverter essas estatísticas horríveis.

Foto: Pedro Vilasboas

Curitiba

Ao final da caminhada houve um momento de música e foi inaugurado o Painel da Casa da Mulher Brasileira de Curitiba, uma produção da artista Marta Berger.

Foto: Divulgação

Ribeirão Preto

O Parque Curupira, uma das atrações turísticas da cidade foi tomado pela energia das 300 pessoas que pediam o Fim da Violência contra as Mulheres.

Foto: Divulgação

E essa mesma energia e vibração estiveram presentes nas cidades de Manaus, Macapá, Aracaju, Salvador, Vitória, São Luiz, Juiz de Fora, João Pessoa, Rio de Janeiro, Santa Maria, Florianópolis, Blumenau, Chapecó, São José do Rio Preto, São José dos Campos, Campinas, Dusseldorf, Sul da Flórida, Londres e Paris. Porque esse é o nosso propósito e sabemos que a vida de cada mulher conta!